Habilidades desenvolvidas

BRINQUEDOS DE MADEIRA

 

A maioria dos pais sabe como brincar é importante para o crescimento de uma criança saudável e feliz. Porém, nem todos sabem o papel que os brinquedos de madeira exercem nesse contexto.

Ecologicamente corretos - feitos com madeira reflorestada ou MDF e sem utilização de pilhas e baterias – eles não são tóxicos como o plástico e possuem, em geral, cores mais leves, mais naturais e menos brilhantes do que as expostas as crianças diariamente. Alguns podem ser encontrados até na cor natural para que possam ser pintados, criando um significado especial para o brinquedo.

Com sons produzidos pela própria criança ou pelo brinquedo, através de manivelas e pequenas engrenagens, essas “engenhocas” divertem sem a necessidade de ruídos excessivos prejudiciais à sensibilidade auditiva.

Considerada de temperatura “quente”, a madeira é matéria viva e possibilita o contato com o que é natural e orgânico, estimulando o toque e desenvolvendo a percepção tátil. Fator esse, de grande importância no processo do desenvolvimento infantil, pois é através da exploração dos sentidos que a criança descobre o mundo e cria sua relação com ele.

O brinquedo de madeira permite várias alternativas de experimentação, pois ele é o objeto que sofre a ação e não o contrário. Exige participação ativa e imaginação. Estimula a criatividade, o raciocínio lógico, o resgate das brincadeiras antigas e das tradições passadas de geração à geração.

Mostre a seu filho diferentes brinquedos e brincadeiras, estimule a diversidade, o lúdico, e ajude ele a se desenvolver brincando.

 

 

BICHOS DE PELÚCIA

 

 Quase todo quarto de criança tem um, nem que seja bem pequeno, servindo apenas de enfeite, mas quase sempre tem... Isso, porque os bichos de pelúcia há muito tempo  fazem parte do universo infantil. Antes de nascer, ela já costuma ter um bichinho lindo e fofinho aguardando sua chegada, como um presente de boas vindas.

 Quando começa a ter conhecimento do mundo a sua volta, logo percebe aquele    "amiguinho” ali do lado, pedindo para ser abraçado e mordido...

 Os bichos de pelúcia geralmente ajudam a acalmar, a desenvolver a ternura, o afeto e  despertam boas emoções. Servem também como objeto de transição para a redução da  dependência afetiva que, em excesso, pode prejudicar o desenvolvimento e a autoestima  da criança. A fofura e o tecido macio de que esses brinquedos são feitos, transmitem  calor e uma sensação de colo de mãe, trazendo mais segurança quando ela não está  perto. É comum ver crianças que levam seu bichinho de pelúcia favorito para a escolinha  no primeiro dia de aula, pois ele serve de referência ao aconchego familiar. Da mesma  forma, pode servir de apoio no processo de interrupção da amamentação.

 Algumas pessoas, especialmente as mulheres, continuam gostando de pelúcia mesmo  depois da infância. Receber um ursinho de pelúcia com flores ou chocolates ainda representa, até hoje, uma demonstração de carinho entre vários casais.

 

 

BONECAS

De forma rudimentar, podemos dizer que a relação com uma boneca é a primeira noção de amizade que uma menina tem na vida. Quando muito pequena, antes dos dois anos, ainda não interage completamente com outras crianças da sua idade, mas brinca e cuida da sua boneca, reproduzindo desde cedo o que aprende no seu ambiente familiar e social. Essa imitação do comportamento do adulto faz parte do desenvolvimento infantil e ajuda na formação de valores e caráter.

A criança vê na boneca o próprio reflexo. Assim, ela identifica a si mesma, a relação com sua mãe ou cuidadora e projeta como gostaria de ser. Isso estimula a fantasia, os sonhos e desejos. Ajuda a criança a externalizar através das brincadeiras e ações, o que sente das relações humanas.

As bonecas de pano, por serem feitas de “material vivo” (algodão, feltro, lã...), transmitem a sensação de calor e aconchego, além de trabalhar as sensações táteis.

Os Bebês Reborns, por sua vez, devido à grande semelhança com o real, atendem à fantasia, gerada pelo instinto materno, que muitas meninas têm de cuidar de um bebê. Esse cuidado pode ajudar também a reduzir manifestações de ciúme, comuns na chegada de um novo irmãozinho.

 

 

QUEBRA-CABEÇA

 

 O quebra cabeça está entre os brinquedos que mais contribui com o desenvolvimento  infantil, tendo grande importância nos primeiros anos da criança. O hábito  de montar quebra cabeça ao longo da vida, continua trazendo sua contribuição  também na fase adulta.

 O movimento constante das mãos, durante sua montagem, facilita o aprendizado da  escrita - habilidade motora fina. O movimento dos olhos, exigindo percepção visual,  contribui para o aprendizado da leitura e para o fortalecimento da musculatura  ocular (um dos itens para o processo de leitura dinâmica). Por sua vez, o movimento  conjunto de mãos e olhos aumenta a noção espacial.

 Bom para o desenvolvimento neurológico e para o aumento da concentração, esse jogo pode ser também uma fonte divertida de conhecimento. Os quebra-cabeças  pedagógicos podem ter temas como cores, números, animais, alfabetização e vários outros próprios para cada idade. Já os personalizados, com fotos, estimulam o  interesse pela montagem devido à identificação de si mesmo. Ressalta para a criança a importância das pessoas, lugares ou momentos registrados naquela foto.

Além disso, serve como instrumento de inclusão social quando compartilhado com outras crianças em sistema de cooperação. É também um ótimo jogo para diversão em família e união entre pais e filhos através da ajuda mútua. Além disso, a resolução do desafio proposto desenvolve autoconfiança e libera dopamina (neurotransmissor atuante no cérebro, responsável pela sensação de prazer).

Faça o teste: se você ainda não tem costume, comece a montar um quebra cabeça com seu filho hoje e descubra como essa brincadeira pode ser prazeirosa e produtiva para vocês!!!